Amanhecendo e eu aqui no alto do morro no meio das árvores enxergando lá embaixo todo o esplendor do mar e do horizonte. 

Com os primeiros raios de sol despontando me fazendo sentir rejuvenescer. 

A noite recém disse até amanhã e os bichos, quase todos, ainda adormecidos. 

Com os primeiros raios de sol já cantam a vitória do novo dia. 

Não consigo mergulhar no passado, sinto que diante de Netuno, sou uma simples espectadora da grandiosidade do momento em seu reino. 

Pulo da cama e na cozinha o cheirinho de café, que bom! 

Hoje vou fazer um novo caminho, como sempre. Louquinha? Não! Sou da turma daquele poeta..." Antonio Machado" que diz:" No hay caminos caminante el camino se hace al andar..." 

Vou vestir-me de natureza e andar, voar, nadar em todo este espetáculo. 

Esse retiro me dei de presente depois de alguns anos. 

Mergulho neste universo para ver se reencontro com a minha alegre criança. 

Carrego neste barco, como a arca de Noé, os meus amores, minhas fantasias, meus bichos, até encontrar um novo objetivo.Não sei ainda onde vai dar, mas vouuuuuuu... 

Um raio de sol iluminou o meu terceiro olho e esquentou todo o meu corpo para dizer que é possível, novamente, encontrar a felicidade. 

A natureza começa a dançar e deixa o meu corpo leve para caminhar na areia a beira do mar.

Esta paisagem me ressuscitou, despregando a minha pele velha, como uma cobra que se renova, saindo da era de peixes e entrando na de aquários, com belezas e controvérsias reveladas. 

Meus pensamentos voaram para os anos em que vivia na casa da minha sogra logo após meu casamento. 

Encontro nesse recanto do mundo a minha amiga Nereida que me deu abertura para, novamente, mergulhar na  nossa juventude e no começo dos meus anos de casada. 

Foi tão, gostoso este reencontro,sentimos como é bom quando estamos juntas!



This entry was posted on 01:00 and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

1 comentários:

    Paulo Bentancur disse...

    Minha nossa, Marta, que texto bem escrito... Além da delicada sugestão das imagens, linkando passagens da tua vida com cenas míticas, épicas, da história do mundo, o ritmo mesmo da linguagem nos embala. E flutuamos te lendo, e saímos à tona do teu escrito renovados. Parabéns.

  1. ... on 25 de agosto de 2011 12:33